Nossos santos: Beata Lindalva


Lindalva nasceu em 20/10/1953 em Açu (RN). Ela entregava-se com naturalidade às práticas de piedade e era muito sensível para com os pobres, de tal forma que ainda jovem surpreendeu a família doando as próprias roupas aos necessitados. Transferindo-se para Natal, estudava e trabalhava para se manter e ajudar a família, e todos os dias visitava os idosos do Instituto Juvino Barreto. Após concluir o segundo grau passou a cuidar do pai, idoso e doente, com todo carinho e paciência. Quando este faleceu, Lindalva, aos 33 anos, entrou para a Companhia das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo: queria servir a Cristo nos pobres.
Não foi fácil adaptar-se à nova vida, mas com a graça de Deus foi progredindo na sua caminhada espiritual. Terminado o período do Noviciado foi enviada para o Abrigo Dom Pedro II, em Salvador (BA), recebendo o ofício de coordenar uma enfermaria com 40 idosos, sendo responsável pela ala do pavilhão masculino. Em 1993 o abrigo acolheu entre os anciãos Augusto da Silva Peixoto, de 46 anos. Ele passou a assediar Ir. Lindalva; mas, por ela não ter correspondido, Augusto comprou uma peixeira, que amolou ao chegar no abrigo; não dormiu na noite de quinta para sexta-feira santa. De manhã, Irmã Lindalva havia participado da Via-Sacra e ao regressar, foi servir o café da manhã aos idosos. Era o dia 09 de abril de 1993.
Enquanto servia o café, sentiu um toque no ombro: virou-se e teve tempo apenas de ver o rosto enraivecido do homem que conhecera havia poucos meses... Em seguida, foram dezenas de facadas por todo o corpo. Tudo diante do semblante horrorizado dos velhinhos que assistiam à cena bem em frente à mesa de café. Um senhor ainda tentou evitar a tragédia, avançando sobre o assassino. Mas Augusto estava decidido e, ameaçou de morte quem ousasse se aproximar. Terminado o crime, foi esperar a polícia sentado em um banco na frente da casa. Do abrigo, ele foi para Casa de Detenção e, posteriormente, parou no Manicômio Judiciário. Passados dez anos, os laudos psiquiátricos indicam que ele já não apresentava mais perigo à sociedade. Como não tinha para onde ir, permanece no manicômio, onde diz arrependido e que não sabia como foi capaz de fazer aquilo. Os médicos legistas contaram no corpo de Ir. Lindalva 44 perfurações.
À noite, a procissão do Senhor Morto, que todos os anos passava por aqueles quarteirões, parou na Capela do abrigo. O caixão com corpo de Ir. Lindalva foi trazido e colocado entre o féretro do Senhor Morto e a estátua de Nossa Senhora das Dores. Por toda aquela noite ali compareceu uma multidão de fiéis, padres, religiosos, pessoas de todas as condições sociais, e até mesmo evangélicos, vindos de toda a cidade. Foi proclamada beata mártir pela Igreja Católica no dia 02/12/2007. Sua festa é celebrada a 07 de janeiro.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Curtiu? Então Comente e Compartilhe!