Nossos Santos: Santa Paulina


Santa Paulina



Amábile Lúcia Visintainer nasceu em 16/12/1865, filha de Napoleone Visintainer, membro da Ordem Terceira Franciscana, e Anna Pianezzer, da Irmandade do Santíssimo Sacramento.  Foi batizada no dia seguinte e crismada em 1874, em Vígolo Vattaro, Trento, Itália. Em 1875 emigrou com sua família para o Brasil (SC), numa localidade que passou a se chamar Nova Trento, em homenagem ao local de origem. Recebida a Primeira Comunhão aos 12 anos, ela foi encarregada do catecismo às crianças, da visita às pessoas doentes e da limpeza da Capela. Certo dia, por inspiração do céu, Amábile fez proposta à sua amiga Virgínia para deixar tudo e morar num casebre, perto da Capela, para rezar, trabalhar, cultivar o espírito e ajudar os pobres doentes. Foi a inspiração fundacional da futura Congregação. Em 12/07/1890 Amábile, com a permissão de seu pai e a aprovação do Pe. Marcello Rocchi, realizou a sua inspiração, passando a morar num casebre para aí cuidar de uma cancerosa desamparada. Esta data é considerada o dia da fundação da sua obra, que foi uma das primeiras Congregações Religiosas fundadas no Brasil. Em 1895, o pequeno grupo, que se formara em torno de Amábile recebeu a aprovação do Bispo de Curitiba com o nome de Filhas da Imaculada Conceição. Em dezembro do mesmo ano fizeram os votos religiosos e ela recebeu o nome de Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Ela tinha então 30 anos.
Em 1903 transferiu-se para São Paulo, seguindo conselho e convite do Pe. Luigi Rossi, que cuidou da organização jurídica da Congregação, com um Capítulo celebrado em fevereiro de 1903, no qual Madre Paulina foi eleita Superiora Geral. O governo de Madre Paulina durou 6 anos, nos quais, com o afluir das vocações, a Fundadora pôde realizar a fundação de outras três casas no Estado de SP. No ano de 1909 ela sofreu uma terrível prova: devido às manobras de algumas pessoas apoiadas por algumas religiosas e pelo Bispo, Madre Paulina foi deposta pelo Capítulo Geral de agosto de 1909. Foi-lhe reconhecido e conservado somente o título de "Veneranda Madre Fundadora".

De 1909 a 1918 viveu na casa por ela fundada em Bragança Paulista. Em 1918 ela foi chamada à Casa Geral em São Paulo, com pleno reconhecimento de suas virtudes, para servir de exemplo às jovens vocações da Congregação, que desde 1909 assumira o nome de "Irmãzinhas da Imaculada Conceição". Em 1938 começou a Via-Sacra dos sofrimentos por causa do diabete: progressivas amputações até a cegueira total. Em 09/07/1942, com a habitual jaculatória nos lábios: "Seja feita a vontade de Deus", morreu piamente no Senhor. Já em vida gozou de veneração, mas, sobretudo na morte e depois, a fama de santidade aumentou sempre.  Foi beatificada pelo Papa João Paulo II em 18/10/1991, por ocasião da sua visita a Florianópolis, e canonizada pelo mesmo em 19/05/2002, recebendo oficialmente o nome de Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus. É considerada a primeira santa brasileira, mesmo não tendo nascido no Brasil. A Congregação por ela fundada está presente em mais de 10 países.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial