Nossos santos: Beata Dulce


Beata Dulce


Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes nasceu em Salvador a 26/05/1914. Aos 13 anos a pequena Maria Rita já havia transformado a casa da família em um centro de atendimento de pessoas carentes, e assim nasceu a sua vocação religiosa. Após visitar regiões onde moravam pessoas muito pobres, manifestou pela primeira vez o desejo de se fazer religiosa. Sua família a apoiava totalmente nesse seu desejo. Em 1929 entrou para a Ordem Franciscana Secular, graças à orientação de seu diretor espiritual, e fez a vestição no dia 25/12/1932. Em 15/01/1933 fez a profissão como terceira e recebeu o nome de Irmã Lúcia.
Formou-se professora em 09/12/1932, e já no ano seguinte entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus. Fez o seu noviciado em São Cristóvão (SE) e em 15/08/1934 fez seus primeiros votos, recebendo o nome de Irmã Dulce, em homenagem à sua mãe. Em setembro ela volta a Salvador, participando da abertura do Hospital Espanhol. Em 1935 passa a lecionar no Colégio Santa Bernadete, começa a trabalhar com os operários da Península de Itapagipe e cria um posto médico para atendimento da comunidade carente nos Alagados. A imprensa passou a chamá-la de “Anjo dos Alagados”.
Em 1936 fundou, junto com seu antigo diretor espiritual, Frei Hildebrando, a União Operária São Francisco, que foi a primeira organização operária católica da Bahia, que no ano seguinte passou a se chamar Círculo Operário da Bahia. Pensando na educação dos operários e seus filhos, inaugurou em 1939 o Colégio Santo Antônio. Foi nesse ano que invadiu cinco casas na Ilha dos Ratos para acomodar os doentes que recolhia nas ruas. Sendo expulsa, levou seus doentes de um lugar para outro, peregrinando por cerca de uma década. Finalmente, em 1949, instalou seus doentes no lugar do galinheiro do Convento Santo Antônio, fundado dois anos antes. Deste improvisado albergue, com 70 doentes, nasceria o Hospital Santo Antônio. Em 1950 iniciou o atendimento aos presos da cadeia Coreia. Em 26/05/1959 fundou a Associação Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), e no ano seguinte inaugurou o Albergue Santo Antônio. A OSID é considerada uma das instituições filantrópicas mais importantes do mundo, atendendo mais de 1 milhão de pessoas por ano.

Irmã Dulce levava uma vida espartana, com pouca folga, poucas horas de sono e uma saúde frágil. Em 17/01/1984 fundou as Filhas de Maria Servas dos Pobres, uma associação pública de fiéis de direito diocesano, com o objetivo de continuar as obras da OSID, após a sua morte. Em 1988 foi indicada para o Prêmio Nobel da Paz, o qual ela não venceu. Morreu aos 13/03/1992. Em seu velório, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, políticos, empresários, artistas, se misturavam à dor da multidão de pessoas simples, às quais Irmã Dulce dedicara a sua vida. Ela foi uma das mais importantes, influentes e notórias ativistas humanitárias do século XX. Em 2011 foi beatificada por Dom Geraldo Majella, em Salvador. Sua festa é comemorada a 13 de agosto.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial