Nossos santos: Beato Pe. Eustáquio


Beato Pe. Eustáquio

Humberto van Lieshout nasceu na Holanda em 03/11/1890. Educado por pais dedicados e bons cristãos, e na convivência de seus oito irmãos, Humberto desenvolveu-se como rapaz generoso e piedoso. Inspirando-se no famoso missionário Pe. Damião de Molokai matriculou-se no Seminário dos Padres dos Sagrados Corações, mas encontrou bastantes dificuldade em seus estudos. Com esforço, firmeza de vontade e persistência venceu as dificuldades intelectuais. No noviciado trocou o seu nome de batismo pelo de Eustáquio, e fez sua profissão religiosa em 27/01/1915, sendo ordenado sacerdote a 10/08/1919. Por quatro anos exerceu diversos ministérios na Holanda, onde ganhou fama de caridoso e santo, sendo condecorado "Cavaleiro da Coroa" pelo Rei Alberto da Bélgica, pelo seu trabalho junto aos refugiados belgas.
A convite do Bispo de Uberaba (MG), Dom Antônio, em 1925 Pe. Eustáquio e mais dois companheiros vieram para o Brasil a fim de fundar a primeira casa da Congregação dos Sagrados Corações no Brasil, que se deu em Água Suja (MG) onde assumiram o Santuário de N. S. da Abadia. No ano seguinte tornou-se vigário de três paróquias, com muitas capelas anexas. Ele visitava os doentes nas choupanas, distribuía roupas e alimentos aos necessitados, acudia aos problemas familiares, reabriu a escola rural, moralizou as festas da Padroeira, pregou missões populares e iniciou a construção do novo Santuário. Dessa forma, conseguiu conquistar toda a região e ganhou fama de santo e milagreiro.

Quando foi transferido para Poá (SP) o povo não permitiu a sua saída. Somente dois meses depois ele conseguiu assumir a paróquia recém-criada, que fazia parte da periferia de São Paulo. Sendo vigário da Paróquia N. S. de Lourdes, atendia várias outras paróquias com seus dois padres coadjutores. Suas pregações e bênçãos logo criaram fama e projetaram o seu nome no Estado e no Brasil, passando a ser conhecido como o "Vigário de Poá". A notícia das curas do ‘santo’ Pe. Eustáquio fizeram com que milhares de pessoas se apinhassem nas ruas da pequena Poá, que não comportava tanto movimento. Em maio de 1941 a situação tornou-se insustentável e Pe. Eustáquio teve que ser transferido. Após algumas transferências, foi empossado como vigário da Paróquia de São Domingos em Belo Horizonte (MG) em 07/04/1942. Por ordem dos superiores, somente no confessionário podia atender os não-paroquianos, em número reduzido, em horários fixos. A pedido do Bispo realizou inúmeras atividades em outras paróquias da capital mineira e em cidades do interior. Era incansável no trabalho pastoral, e assim consumiu sua robustez física. Pe. Eustáquio adoecera gravemente, contraindo tifo exenquemático, doença incurável na época transmitida pela picada de um carrapato.  Sua bela alma descansou definitivamente na paz de Deus no dia 30/08/1943. Em 1949 foi feita a exumação e trasladação de seu corpo para a sepultura definitiva na Igreja dos Sagrados Corações, cuja construção ele mesmo iniciara em 13/05/1943. Foi beatificado em 15/06/2006, Solenidade de Corpus Christi, no Mineirão, em BH.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial